Sejam bem-vindos a este espaço todos os músicos e amantes de música. De boa música. Agradecemos a divulgação tanto por parte dos leitores como das bandas que nos visitem. E a todas as bandas que queiram ser aqui divulgadas/lembradas/relembradas - comuniquem! (e-mail em "contactos" ).
Stay Metal! \m/ (...e não só :D)

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Abrahadabra - Dimmu Borgir- 2010


Abrahadabra é o nono álbum da banda de Symphonic Black Metal norueguesa Dimmu Borgir. Silenoz descreveu o novo álbum como "sinistro e assustador". O álbum conta, e muito bem, com a participação da "Norwegian Radio Orchestra", bem como do grupo de coral Norueguês "Schola Cantorum", totalizando mais de 100 músicos e cantores, assessorado por Gaute Storaas, compositor e maestro.

O título do álbum, "Abrahadabra" foi um termo criado pelo autor Aleister Crowley na sua obra Liber AL vel Legis, que significa "Eu crio enquanto falo". A capa do álbum foi feita por Joachim Luetke, que descreveu a sua criação, e maravilhosamente bem, como sendo "fria, hibernal e pós-industrial”

Nos últimos três anos houve transformações no seu seio do grupo , na medida em que os membros I.C.S. Vortex (baixo / vocais limpos) e Mustis (teclados) saíram da banda em 2009.

O núcleo remanescente dos Dimmu Borgir contam com: Shagrath (vocais), Silenoz (guitarra) e Galder (guitarra), juntamente com o baterista Daray. Snowy Shaw foi aproveitado para substituir Vortex, mas retornou aos Therion depois da gravação do álbum.
O som dos Dimmu Borgir está neste álbum, na minha opinião, mais sinfónico e grandioso. Os elementos orquestrais que dominam o álbum, vislumbram-nos com um
som épico e majestoso. O perigo de tanta ênfase é que por vezes as partes cruciais de composição tais como as melodias e os ganchos são empurrados para o fundo.

 

Além do coral e os backing vocals grossas de Shagrath, há vocais femininos em "Gateways" e " Ritualist ", cortesia da Agnete Kjolsrud (Animal Alpha), que acrescentam ainda mais diversidade no processo. A canção "Dimmu Borgir" é um destaque, um épico, é uma faixa dramática que faz pleno uso do coro e em que Shagrath utiliza diversos estilos vocais, a partir de sussurros e gritos duros.

O álbum é consistente no seu todo , com algumas das faixas mais fortes na segunda metade do álbum. " The Demiurge Molecule " recebe thrash em alguns lugares, e " A Jewel Traced Through Coal " tem uma som mais dark e mais extremo. Encerra com "Endings and Continuations ", onde está presente alguns vocais limpos de Garm (Ulver).
 



Faixas

   1. "Xibir" - 2:50
   2. "Born Treacherous" - 5:02
   3. "Gateways" - 5:10
   4. "Chess with the Abyss" - 4:08
   5. "Dimmu Borgir" - 5:35
   6. "Ritualist" - 5:13
   7. "The Demiurge Molecule" 5:29
   8. "A Jewel Traced Through Coal" - 5:16
   9. "Renewal" - 4:11
  10. "Endings and Continuations" - 5:58

Membros oficiais

    * Shagrath – vocal, teclados, efeitos
    * Silenoz – guitarra base
    * Galder – guitarra solo

Músicos contratados

    * Snowy Shaw - baixo (todas as faixas), vocais limpos (nas faixas 4, 6, 9 e em "Perfect Strangers" (cover do Deep Purple)
    * Daray - bateria

Músicos convidados

    * Agnete Kjølsrud - vocais femininos (nas faixas 3 e 10)
    * Kristoffer Rygg - vocais limpos (na faixa 10)
    * Gerlioz - teclado
    * Andy Sneap - leads (nas faixas 3 e 9)
    * Ricky Black - slide guitar (na faixa 10)
    * Orquestração e coral arranjados por Gaute Storås e conduzido por Rune Halvorsen
    * Gravado com a Norwegian Radio Orchestra
    * Schola Cantorum (Coral norueguês) - coral

Post-Scriptum:

Não importa o que eles fazem, Dimmu Borgir são uma banda de polarização. Mesmo se alguém não for apreciador do estilo sinfónico, Abrahadabra não vai passar despercebido. Aqueles que ficaram decepcionados com o seu último álbum, vão ser agradavelmente surpreendidos com o presente, e os apreciadores do hardcore vão ficar satisfeitos com este esforço ambicioso e bem executado.

6 comentários:

v i c t o r h u g o disse...

Video poderoso... ou melhor, musica poderosa!

Ainda não ouvi este trabalho, mas irei em breve.
Decerto que não será uma desilusão.

v i c t o r h u g o disse...

E não foi uma desilusão.
O trabalho tem um adjectivo que se sobressai - majestoso!
O que ouvimos não nos é estranho e soa a Dimmu Borgir daqueles tempos do Death Cult Armageddon.
Os solos são uma mais valia, mas não são daqueles do "Spiritual Black Dimensions".
Mas destaco, claro está, a performance humana deste album - um coro humano dá sempre outra energia, e quando ouvimos o inicio da "Gateways", lembro-me sempre que são as gargantas de pessoas que fazem aquilo.
Já a música "Dimmu Borgir", quando a começo a ouvir sinto vontade de que fosse uma música à lá Bathory... porque realmente parece que sugere um épico que só Bathory é capaz de fazer.

Anónimo disse...

cialis bestellen cialis
cialis acquistare cialis
cialis cialis
cialis generique cialis 10mg orodispersible

Anónimo disse...

[url=http://kaufencialisgenerikade.com/]cialis generika[/url] cialis bestellen rezeptfrei
[url=http://acquistocialisgenericoit.com/]cialis generico[/url] cialis generico
[url=http://comprarcialisgenericoes.com/]cialis 20 mg[/url] comprar cialis andorra
[url=http://achatcialisgeneriquefr.com/]cialis generique[/url] cialis

Anónimo disse...

[url=http://kaufencialisgenerikade.com/]cialis preise[/url] cialis bestellen rezeptfrei
[url=http://acquistocialisgenericoit.com/]cialis online[/url] cialis farmaco per impotenza
[url=http://comprarcialisgenericoes.com/]cialis comprar[/url] cialis vademecum
[url=http://achatcialisgeneriquefr.com/]generique cialis[/url] achat cialis en france

Anónimo disse...

http://prixviagragenerique50mg.net/ achat viagra
http://prezzoviagraitalia.net/ acquistare viagra
http://precioviagraespana.net/ viagra